Archive for abril \20\UTC 2010

h1

texto sem pretexto, textualizados na textura da trascedentalização descentralizada.

abril 20, 2010

Souto, sem saber seguir por caminho certeiro, me privelegiu praticamente de toda horrenda ortografia e toda garantida gramática, estática, nos bytes obtidos do meu computador. E das rimas, primas obras da combinação cordial das palavras, pautadas, escritas e escravas. Sortidas, cheias de sorte, por eu as ter escolhido, escondida entre estranhas entranhas do dicionário ordinário, que justo no horário que eu precisei, o peguei, e elas estavam lá. Por um momento tentaram me escapar, saíram a gritar. Mas ai descochilei, me mochilei e comecei do começo, sem pressa, mas depressa, as danadas poderiam me faltar. Sem preocupação com a compreensão, esquecendo a métrica, a estética, a virgula, o ponto, e pronto, já virou o maior caos, caos textual, conceitual aplicado, … Estou Souto, sem saber seguir por caminho certeiro, agora no travisseiro,  me ponho a saborear o que escrevi, moendo e remoendo, peneirando a solidão, pensando na satisfação do desapego, e esquecer do desespero que é entender, no prazo de entregar, na falta de vontade e na vontade de chorar.  Sacra sensação de saber onde parar, limitariedade instintiva, distinta e rara…Como agor.

– Tenho mais medo do TCC do que do PCC =D

– Parabéns Edero! Boa sorte ae!

– Por hoje é só pessoal!

h1

Hoje

abril 12, 2010
Hoje acordei sem vontades, sem morrer de amores, sem olhar no relógio, sem tomar meus remédios. Hoje eu acordei ainda deitado, durmindo acordado. Hoje eu não fumei meu cigarro, nem tomei coca-cola
não aumentei minhas vitórias, aceitei algumas derrotas… Hoje acordei sem gritar, sem falar bom dia, sem reclamar do café, hoje acordei sem errar. Coloquei o pé direito, reparei o meu cabelo, parei no seu andar, reparei no seu andar. Hoje entrei no elevador, e você estava lá… No elevador pensei em conversar, pensei em te olhar, nos olhos, pensei por um segundo, pensei em me engravatar, da próxima vez… Pensei que podia não haver próxima vez… E não sai do lugar. Hoje o elevador parou, hoje você desceu, hoje o mundo parou, eu todo mundo desceu, eu fiquei, com seu andar na cabeça, e com a cabeça sem andar, parado, ali, ou aqui, com os pensamentos em todo lugar. Voltei pra casa, com vontade de chorar, trabalhei, trabalhei, trabalhei, rotina, rotina, rotina, cansaço, cansaço, cansaço…Hoje não fiz nada de util, não levei em consideração o tempo, vital, verbal, social, nem consideirei a organização das coisas. Nessa noite não durmi, nessa noite eu pensei, fumei, bebi… Procurei, o sono, esperei, um sonho.. Desiludi, essa noite eu usei, rinosoro no nariz, rolei cama, ladera de lama. Percebi, que precisava dormir, mas só os olhos fechei, pensando no andar, no seu andar.
No outro dia acordei sem vontades, sem morrer de amores, sem olhar no relógio…
Ahhhh o mac não deixou postar imagem nenhuma, fica pra próxima, tá?
– Reflexões
— Fiquei sabendo que bebedeira acaba as amizades!
— Tudo  pela orde! Falo Bruxão, é nóis que voa!
— Ahhh, tamo ae!